A manhã acordo negativa na Europa mas já mudou de tendência. O PSI20 ganha 0,12% para 4.777,80 pontos, em linha com os pares, numa sessão em que os investidores poderão estar a fazer uma pausa e tomarem mais-valias das cinco sessões de ganhos que passaram.

A grande estrela da manhã está a ser a Corticeira Amorim. Cresce 1,88% para 8,24 euros, num dia em que o valor máximo da ação foi atingido nos 8,40 euros.

O otimismo em torno do título continua motivado pelos resultados trimestrais, divulgado na passada semana, que ficaram acima do esperado. A Corticeira Amorim fechou o primeiro semestre com um resultado líquido de 35 milhões de euros, mais 34% do que no período homólogo.

Já hoje, o Caixa Banco de Investimento (Caixa BI) subiu o preço-alvo do título em 38% para 8,30 euros por ação, face aos anteriores 6 euros, elevando a recomendação de “neutral” para “acumular”.

Revimos as estimativas e avaliação da Corticeira Amorim de forma a contemplar a extraordinária evolução operacional observada nos últimos dois trimestres" refere o research do Caixa BI, citado pela Reuters.

"A empresa está, mais uma vez, a crescer mais rápido do que antecipámos, o que, suportado pelas medidas de contenção de custos adotadas, está a levar a empresa a apresentar uma notória melhoria de rentabilidade” acrescenta o Caixa BI.

Com um mosaico muito variado, entre ganhos e perdas, o verde vai ainda para a banca. O BCP sobe 1,05% para 0,0912 euros, com os investidores atentos ao possível negócio que permitirá aos chineses da Fosun tomarem até 30% do capital do banco. O BPI valoriza 0,53% para 1,125 euros na antecâmara da assembleia-geral de setembro que decidirá se afinal os catalães do CaixaBank poderão avançar, ou não, para o controlo da instituição.

Em sentido contrário, a Galp perde 0,38% para 12,945 euros, penalizada por uma descida de mais de 1% na cotação do barril de Brent – que negoceia em Londres e serve de referência às nossas importações -, após os pedidos de alguns membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para que o cartel limite a produção a serem recebidos pelo mercado com pouco otimismo.