Ainda em Portugal, no segundo dia do Fórum do BCE, em Sintra, o presidente do Banco Central Europeu começou hoje por se mostrar otimista quanto ao andamento da economia na zona euro, ao mesmo tempo que pediu "prudência" nos ajustamentos das medidas.

No discurso de abertura do segundo dia deste fórim, Mario Draghi sublinhou a sua confiança de que a política monetária “é efetiva e que está a funcionar"..

Todos os sinais apontam para um fortalecimento e uma recuperação alargada da zona euro”.

Embora tenha admitido que ainda há fatores que estão a pesar na recuperação da inflação, mas que são “principalmente temporários” e que podem ser resolvidos com a política monetária do BCE, defendeu que ainda “é necessário um nível considerável de medidas acomodatícias para que as dinâmicas da inflação se tornem duradouras e sustentáveis”.

Por isso, o presidente do BCE sublinhou que “para garantir o regresso da inflação ao objetivo”, que é ficar próxima, mas abaixo, dos 2% no médio prazo, “é preciso persistência na política monetária”.

E, finalmente, precisamos de prudência. À medida que a economia recupera temos de ser graduais quando ajustamos os parâmetros de política, para garantir que os nossos estímulos acompanham a recuperação enquanto reduzem as incertezas”.

Ontem, Draghi tinha sublinhado que as taxas de juro devem permanecer baixas para que o crescimento económico recupere. 

Sobre os problemas do setor financeiro, defendeu que os dinheiro dos contribuintes deve ser "minimizado" na resolução de bancos.

Para além de marcar presença na reunião anual dos governadores dos bancos centrais europeus, o presidente do BCE foi ontem o orador de uma aula no ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão. Aproveitou o momento para pedir um minuto de silêncio em memória das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande.