A Comissão Europeia recusa comentar o que diz ser “especulações da imprensa”. Em causa a noticia avançada pela TSF que dava conta de que o Banco Central Europeu e a  Comissão poderiam fazer auditorias antes da luz verde ao plano de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos.

Sobre as eventuais auditorias, o porta-voz da Comissão, Ricardo Cardoso, disse à TVI que “deve ficar claro que a Comissão não é um auditor nem realiza auditorias”.

Mas a Comissão não fecha a porta a um possível pedido de informação, que pode ser no âmbito de qualquer procedimento que o Banco Central Europeu venha a realizar.

“O que podemos fazer em casos de auxílios estatais é uma avaliação aprofundada de um plano financeiro apresentado por um Estado-membro ou pedir mais informações ao Estado-membro. Mas a Comissão nunca realiza por si uma auditoria financeira ou forense”, acrescentou o porta-voz da Comissão.

A confirmar-se qual qualquer tipo de auditoria que venha a ser pedida pelo Banco Central Europeu, a avaliação  pode adiar por alguns meses as audições na comissão de inquérito exigida pelo PSD.

Na prática, se vier a concretizar-se, esta avaliação dispensará uma sugestão deixada pelo Bloco de Esquerda no último debate quinzenal: que fosse pedida pelo Governo uma "auditoria forense" - argumentando Catarina Martins que isso permitiria ter dados mais rapidamente e evitaria um atraso no processo de recapitalização do banco público.

A TSF refere ainda que, dentro da maioria de esquerda, vê-se com bons olhos este calendário mais distendido: isso permitirá fechar a nova administração e negociar com Bruxelas o reforço de capital - imprescindível para que o banco público cumpra as novas exigências do supervisor europeu ainda este ano.

De resto, o prazo para iniciar as audições na anunciada comissão de inquérito já é curto. Daqui a três semanas há debate do Estado da Nação. E daqui a um mês os deputados seguem para férias.

A TVI contatou também o Ministério das Finanças e o Banco Central Europeu mas não obteve qualquer resposta até ao momento.