O Ministério Público vai analisar "todos os elementos" relativos às audições do ministro das Finanças, Mário Centeno, na Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso Banif.

"O Ministério Público não deixará de analisar todos os elementos que vierem ao seu conhecimento, tendo em vista apurar se se verifica necessidade de intervenção no âmbito das suas competências"

Fonte oficial da Procuradoria-Geral da República foi questionada pelo Diário Económico sobre a eventual abertura de um inquérito, que a PGR não exclui. A mesma resposta foi dada depois à agência Lusa.

O PSD apelou ontem à investigação do Ministério Público a este caso do alegado depoimento falso do ministro na comissão parlamentar de inquérito ao Banif, quando Centeno disse que não tinha tido qualquer envolvimento na venda ao Santander.

Um e-mail do BCE a que a TVI teve acesso aponta noutro sentido: Danièle Nouy, responsável pelo conselho de supervisão, revela que, através de uma chamada telefónica, Mário Centeno e Vítor Constâncio lhe pediram para que desbloqueasse a oferta do Santander junto da Comissão Europeia.

"Tive um telefonema, ontem, com Vítor Constâncio e o ministro das Finanças a pedirem-me para desbloquear a oferta do Santander junto da Comissão Europeia. [...] Neste momento, a Comissão Europeia e o Santander estão prontos para avançar quando as autoridades portugueses também estiverem. [...] A minha recomendação é para que sejam rápidos", escreve Danièle Nouy

Hoje, o ministro das Finanças voltou hoje a dizer que não mentiu e atacou a oposição: "Não incorri em nenhuma falsidade e compreendo que a oposição tenha de fazer o seu trabalho. Mas não compreendo que a oposição faça o seu trabalho nesses moldes".