O Banco Santander Totta comprou a participação do Estado no Banif por 150 milhões de euros, anunciou este domingo o Banco de Portugal.

"As autoridades nacionais decidiram hoje a venda da atividade do Banif e da maior parte dos seus ativos e passivos ao banco Santander Totta por 150 milhões de euros", referiu o supervisor em comunicado.

“As imposições das instituições europeias e a inviabilização da venda voluntária do Banif conduziram a que a alienação hoje decidida fosse tomada no contexto de uma medida de resolução”, acrescenta ainda o Banco de Portugal.

O supervisor assegura que a “Solução garante a total proteção das poupanças das famílias e das empresas confiadas ao Banif, quer depósitos quer obrigações seniores”.

“Manter-se-á o normal funcionamento dos serviços até agora prestados pela instituição. Os clientes podem realizar todas as operações como habitualmente quer aos balcões quer nos canais eletrónicos. Os clientes do Banif passam a ser clientes do Banco Santander Totta e as agências do Banif passam a ser agências daquela instituição”, esclarece. 

“Esta solução é também a que melhor protege a estabilidade do sistema financeiro português.”


O Banco de Portugal esclarece ainda que “a operação envolve um apoio público estimado de € 2 255 milhões que visam cobrir contingências futuras, dos quais € 489 milhões pelo Fundo de Resolução e € 1 766 milhões diretamente pelo Estado, em resultado das opções acordadas entre as autoridades portuguesas, as instâncias europeias e o Banco Santander Totta, para a delimitação do perímetro dos ativos e passivos a alienar”.

No mesmo comunicado, o Banco de Portugal acrescenta que “será transferida para o Banco Santander Totta a generalidade da atividade do Banif, com exceção de ativos problemáticos que serão transferidos para um veículo de gestão de ativos”.

No Banif permanecerá um conjunto muito restrito de ativos, que será alvo de futura liquidação, bem como as posições acionistas, dos créditos subordinados e de partes relacionadas”, escreve o supervisor.


Na sexta-feira, o Banif recebeu seis propostas de compra da participação do Estado. Entre os interessados, para além do Santander, estava o também espanhol Popular, a gestora de fundos Apollo Global Management e um fundo chinês.