As remessas dos portugueses em Angola caíram 24,5% em janeiro deste ano face a janeiro do ano passado, enquanto o dinheiro enviado pelos angolanos a trabalhar em Portugal subiu 149% para 2,3 milhões de euros, segundo o Banco de Portugal.

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal no Boletim Estatístico, os expatriados portugueses em Angola enviaram para o país de origem 15,2 milhões de euros, o que compara com os 20,2 milhões de euros que tinham enviado no primeiro mês do ano passado.

Em sentido inverso, ou seja, contabilizando o dinheiro enviado pelos angolanos a trabalhar em Portugal, existe uma fortíssima subida: as remessas passaram de 930 mil euros em janeiro de 2014 para 2,3 milhões de euros em janeiro deste ano.

Estes dados reportam-se a janeiro, um mês marcado pelas dificuldades na transferência de divisas e pelos pagamentos em dólares aos fornecedores estrangeiros que vendem os seus bens e serviços para Angola, e num cenário económico marcado pela revisão do Orçamento do Estado e pela forte descida não só do preço do petróleo, mas também das receitas fiscais de Angola.

No total, as remessas dos emigrantes subiram 14,6% para 261,8 milhões de euros em janeiro, ao passo que as verbas enviadas pelos estrangeiros a trabalhar em Portugal desceram 10,8% para 44 milhões de euros, face ao homólogo.

Os portugueses em França continuam a ser os mais emissores de verbas para o território nacional, tendo aumentado os valores em 16,1%, que passaram de 68,6 milhões em janeiro do ano passado para 79,6 milhões de euros em janeiro deste ano.

Como de costume, os portugueses na Suíça ocupam o segundo lugar desta lista, tendo enviado 63,1 milhões de euros, o que, comparando com os 56,4 milhões enviados em janeiro do ano passado, mostra uma subida de 11,9%.

Em sentido inverso, ou seja, dos estrangeiros a trabalhar em Portugal, o destaque vai para os trabalhadores brasileiros, que enviaram 20,2 milhões de euros, o que revela uma descida de quase 28% comparativamente 28,1 milhões que tinham remetido para o seu país no primeiro mês do ano passado.