A chinesa Fosun está em negociações exclusivas com o Banco de Portugal (BdP) para comprar o Novo Banco e nega a notícia de que pode estar interessada em adquirir os ativos do espanhol BBVA em Portugal, segundo fonte oficial da Fosun, escreve a Reuters.

Na semana passada, fontes disseram à Reuters que, após terem falhado as negociações exclusivas com a chinesa Anbang, o BdP iria negociar em exclusivo com a Fosun para a venda do Novo Banco - terceiro maior banco privado português.

Adiantaram que, caso fracassem as negociações com a Fosun, avançaria o terceiro candidato - a norte-americana Apollo.

"A Fosun está em negociações com o BP para o Novo Banco e não faz mais comentários. Quanto à notícia que a Fosun estaria interessada no BBVA Portugal é completamente falsa", afirmou este porta-voz da Fosun, em Lisboa.

O jornal espanhol ABC refere hoje que o BBVA "retoma o seu objetivo de se desfazer das posições em Portugal" pois "o negócio não vai bem, e é melhor não acumular mais perdas, a fim de concentrar os esforços em outros mercados que são rentáveis e que são, e continuarão a ser, ‘chave’ para o futuro da segunda maior banco espanhol".

Adianta que "encontrar noiva para o BBVA Portugal não será fácil", vincando: "na lista de 'pretendentes' podem muito bem estar, de acordo com fontes do mercado luso, os fundos norte-americanos Apollo e Cerberus - se bem que este último não está confirmado -, assim como as empresas chinesas Fosun e Anbang".

Na sequência do colapso do Império da família Espírito Santo e dos prejuízos recorde do Banco Espírito Santo (BES) no primeiro semestre de 2014, o BdP a 3 de Agosto decidiu a resolução do BES e criou um 'banco bom' expurgado de ativos tóxicos - o Novo Banco que foi dotado de 4.900 ME de capital.