A eurodeputada socialista Elisa Ferreira, reconheceu esta terça-feira as dificuldades de assumir responsabilidades de supervisão, mas considerou que a sua experiência profissional lhe dá competências para assumir o cargo de administradora do Banco de Portugal (BdP).

Tenho a consciência que assumir responsabilidades de supervisão no sistema atual é procurar uma equipa que procura capitanear um navio num mar bastante agitado", disse Elisa Ferreira, no parlamento.

A eurodeputada está a ser ouvida na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, no âmbito da proposta de designação para o Conselho de Administração do Banco de Portugal.

É, não só minha obrigação, mas um desafio que assumirei com todo o interesse, pôr a minha experiência e energia ao serviço do país. Orgulha-me integrar uma organização centenária como o BdP e integrar um conselho de administração em renovação", afirmou.

Elisa Ferreira considerou, ao apresentar o seu curriculum perante os deputados, que "o facto de ser ainda docente da faculdade de economia do Porto, durante mais de duas décadas, de ter feito um mestrado e um doutoramento em economia numa universidade inglesa", de ter assumido o cargo de ministra entre 1995 e 2002, e eurodeputada no Parlamento Europeu, lhe conferem competências que justificam a sua designação para este cargo.

Às 17:00 é ouvido na mesma comissão Luís Máximo dos Santos, que também foi proposto para administrador do regulador e supervisor bancário.