A dívida das administrações públicas subiu 3.777 milhões de euros em maio face a abril, fixando-se nos 229.204 milhões de euros, segundo números divulgados esta terça-feira pelo Banco de Portugal (BdP).

De acordo com o Boletim Estatístico publicado pelo banco central, a dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, fixou-se nos 229.204 milhões de euros em maio, o que representa um aumento face ao valor de 225.427 milhões de euros registado em abril.

Também a dívida líquida de depósitos da administração central subiu entre os dois meses, em 527 milhões de euros, de 208.504 milhões de euros em abril para 209.031 milhões em abril.

Comparando com o final de 2014, os dados referentes a maio demonstram que a dívida pública aumentou quase 4.000 milhões de euros e a dívida pública excluindo os depósitos cresceu cerca de 900 milhões.

No final do ano passado, a dívida pública fixou-se nos 225.280 milhões de euros e a dívida pública líquida de depósitos da administração central nos 208.128 milhões de euros.

A dívida na ótica de Maastricht é utilizada para medir o nível de endividamento das administrações públicas de um país e o conceito está definido num regulamento de 2009 do Conselho Europeu, relativo à aplicação do protocolo sobre o procedimento relativo dos défices excessivos anexo ao Tratado que institui a Comunidade Europeia.

Contas externas também pioraram em maio

As contas externas de Portugal registaram um défice de 104,3 milhões de euros até maio, uma degradação de 471,6 milhões de euros face ao mesmo período de 2014.

Até maio deste ano, a balança corrente registou um défice de 911,1 milhões de euros, pior do que o saldo negativo de 776,1 milhões de euros verificado nos primeiros cinco meses de 2014.