A dívida das administrações públicas, na ótica de Maastricht, desceu para 128,8% do PIB no terceiro trimestre de 2013, mas continua um ponto percentual acima da meta de 127,8% prevista pelo Governo para o final do ano.

Segundo o boletim estatístico do Banco de Portugal divulgado hoje, o montante de dívida pública no final do terceiro trimestre era de 211.148 milhões de euros, menos 3.653 milhões de euros que o valor registado no final do primeiro semestre.

Estes valores não contam, no entanto, com a 'almofada' financeira que o Estado tem em depósitos.

Os dados do Banco de Portugal mostram que o valor da dívida na ótica de Maastricht, liquida de depósitos, representava no final do terceiro trimestre 117,9% do Produto Interno Bruto (PIB) ou 193.295 milhões de euros.

Ou seja, os depósitos da administração central atingiam no final de setembro 17.853 milhões de euros.

Apesar da descida da dívida entre o final do primeiro semestre e o terceiro trimestre, a trajetória da dívida pública continua a subir, uma vez que, em dezembro de 2012 era de 124,1%.

Segundo as metas definidas na oitava e nona avaliação da troika a Portugal, a dívida pública portuguesa não deverá ultrapassar os 127,8% do PIB no final de 2013.