O secretário de Estado das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, assumiu hoje não estar prevista uma candidatura portuguesa ao cargo de vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), que Vítor Constâncio deixará de ocupar a 31 de maio.

Não é algo que esteja pensado, uma candidatura portuguesa. Vamos esperar que os candidatos se perfilem, mas não está nos planos uma candidatura portuguesa”, respondeu o secretário de Estado das Finanças, quando questionado pelos jornalistas à saída da reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, na qual representou Portugal.

Ricardo Mourinho Félix, que se estreou como representante de Portugal nas reuniões de ministros das Finanças da zona euro, a partir de hoje passaram a ser presididas por Mário Centeno, disse que o Governo vai esperar que os candidatos que possam aparecer se manifestem.

Depois faremos, tranquilamente, uma avaliação daquilo que é a qualidade, o currículo, a experiência do candidatos para escolhermos aquele que melhor seja capaz de assumir as funções e substituir o doutor Vítor Constâncio, que teve um papel, ao longo destes anos, muito importante e reconhecido”, destacou.

Hoje, na sua primeira reunião como presidente do Eurogrupo, Mário Centeno lançou a abertura de candidaturas para o cargo de vice-presidente do BCE, “para assegurar uma sucessão rápida de Vítor Constâncio”, cujo mandato termina em 31 de maio.

A apresentação de candidaturas decorrerá até 7 de fevereiro, com os candidatos a serem votados, no Eurogrupo, em 19 de fevereiro.