O auditor do Novo Banco tem várias reservas e ênfases nas contas do banco relativas ao primeiro semestre. As reservas prendem-se com contingências decorrentes das decisões tomadas pelo Banco de Portugal em relação ao caso BES.

De acordo com um da PwC, referido pelo jornal Diário Económico, estes riscos são impossíveis de quantificar, no que os torna num grande ponto de interrogação quanto ao real valor do banco ‘bom’.

As contingências juntam-se ao aumento do crédito em risco e às necessidades de capital que deverão resultar após a publicação dos testes de stress.

O valor do crédito em risco de incumprimento da instituição a 30 de junho era de 7,9 mil milhões de euros.

O Novo Banco poderá necessitar de um aumento de capital superior a mil milhões de euros.

Depois da 'queda' dos chineses da Anbang à compra do banco, seguem-se os chineses da Fosun. Em cima da mesa continua também a proposta dos norte-americanos da Apollo, que está válida até ao final de setembro.

Emigrantes têm de se decidir até dia 18

Os emigrantes lesados do papel comercial do Grupo Espírito Santo têm até ao próximo dia 18 para decidir se aceitam ou não a proposta do novo Banco. 

E, segundo a Comissão de Mercado e Valores Mobiliários, mesmo aqueles que chegaram já acordo com o novo Banco têm ainda possibilidade de voltar atrás.“Todos os clientes terão a possibilidade tomar uma decisão, incluindo a de reformular a sua decisão original”

A informação consta no site do regulador, que adianta ainda que o Novo Banco enviará o documento informativo simplificado a todos os clientes que subscreveram séries comerciais sobre ações preferenciais (comercializadas pelo BES) até ao próximo dia 8 de setembro.  

“A CMVM recomenda a leitura da documentação facultada e o esclarecimento de quaisquer dúvidas que subsistam junto do Novo Banco ou da CMVM, de modo a assegurar uma decisão que, sendo da sua exclusiva responsabilidade, deverá ser bem informada”. 

O Novo Banco começou a apresentar aos emigrantes em julho uma solução comercial, para reaver o dinheiro, investindo nos produtos Poupança Plus, Top Renda e EuroAforro. 

A proposta garante um reembolso de 60% do valor investido, caso o investimento seja convertido num depósito a prazo a dois anos e até 90% se a troca for feita e os empréstimos mantidos por seis anos.