Depois dos investidores individuais, agora são as gestoras financeiras que querem avançar contra o BES em nome dos clientes que perderam os seus investimentos, sobretudo no período do aumento de capital do antigo banco, que foi alvo de resolução.
 
Segundo o Jornal de Negócios, a sociedade de advogados TLCB tem em mãos cerca de 40 processos, que estão a ser intentados fundamentalmente por investidores no norte do país, que adquiriram ações antes, durante a após o aumento de capital do BES.
 
As ações passam por duas estratégias: por um lado, está a ser estudada a responsabilização dos membros dos cargos de administração e fiscalização do BES. Além disso também existe a possibilidade de responsabilização pelo Estado.
 
A TLCB está a analisar caso a caso, mas o objetivo é coligar o maior número possível de investidores nas ações a propor.