O Novo Banco tem recebido manifestações de interesse por parte de diversos fundos de investimento em infraestruturas na aquisição da participação que detém na Ascendi. Segundo o Jornal de Negócios, essas manifestações de interesse têm chegado diretamente ao Novo Banco, que detém cerca de 29% da Ascendi.

Para o Novo Banco, a venda da posição permitiria libertar capital e gerar liquidez. Segundo as contas do primeiro semestre, o BES contabilizava no balanço a Ascendi em 150 milhões, sendo que o valor do capital próprio é de 564 milhões de euros.

A Ascendi detém sete concessões rodoviárias em Portugal e está também presente em Espanha, México, Brasil, Moçambique e Colômbia.

Quando vender a posição, o Novo Banco tem de comunicar à Mota-Engil, que detém 60% da Ascendi. A decisão está nas mãos do presidente Eduardo Stock da Cunha.