O China Minsheng formalizou uma oferta para comprar a maioria do capital do Novo Banco.

A notícia é avançada pelo jornal Público, que acrescenta que a oferta da instituição financeira chinesa já chegou ao Banco de Portugal.

Esta intenção da China Minsheng não é vinculativa, já que a instituição não apresentou uma proposta de compra no âmbito do concurso público ao fundo de resolução.

A ideia é comprar um pacote de ações, caso o Banco de Portugal e o Governo optem pela dispersão em bolsa.

A oferta de aquisição de mais de 50% do Novo Banco terá agora de ser analisada pelo fundo de resolução, responsável pelas negociações.

Na corrida pelo Novo Banco estão cinco grupos: o BCP, o BPI e três fundos norte-americanos.

Numa entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, que será divulgada esta quinta-feira, o primeiro-ministro confirmou uma proposta de uma instituição chinesa.

Sei em concreto que durante estes cinco dias em que estive cá [na China] foi apresentada uma nova proposta de aquisição do Novo Banco por uma instituição financeira chinesa. Esse é um processo que decorre, neste momento, sob a alçada do Banco de Portugal, ao qual compete apreciar as diferentes propostas e que haverá de fazer uma proposta final ao governo".

Por isso, indicou, o Governo "só se pronunciará depois de o senhor governador" apresentar uma proposta. "Agora sei porque fui informado pelo investidor que tinham apresentado uma proposta para a aquisição do Novo Banco".