O BESI vai avançar com um plano de reestruturação, como objetivo de reduzir os custos operacionais na ordem dos dois dígitos, revela o Diário Económico.

José Maria Ricciardi entregou ao Novo Banco (acionista do BESI) um plano de reestruturação que prevê essa reestruturação, mas que não passará por despedimentos.

O BESI encerrou o primeiro semestre do ano com lucros de 2,5 milhões de euros, mas tem sido afetado pela situação do BES.

Com cerca de 800 colaboradores, o BESI é o maior banco de investimento português. Segundo fontes ouvidas pelo jornal, não está prevista redução de pessoal na sede do banco, em Lisboa.

O BESI está entre os ativos que o Novo Banco pretende vender nos próximos meses, existindo já manifestações de interesse por parte de investidores estrangeiros.