O presidente do BCP rejeita que o banco precise de fazer um aumento de capital. Nuno Amado assegurou esta quinta-feira, em Aveiro, que o aumento de capital, avançado pela Société Générale numa nota de investimento, “nunca foi debatido”.

"Os resultados estão a ser cumpridos, logo não se vê uma necessidade, no nosso plano, de fazer esse aumento. aliás, esse assunto nunca foi discutido em nenhuma reunião do banco nem com as autoridades"


Esta quarta-feira, a Société Générale sublinhava que o cenário mais provável, no âmbito do reembolso dos empréstimos do Estado (conhecidos como CoCo´s), “é um aumento de capital de 750 milhões de euros em 2016”.

Depois desta nota de análise, as ações do BCP caíram em bolsa para mínimos de dois anos. Esta quinta-feira, acabaram por recuperar, e encerraram a sessão a ganhar 3,3%.

O presidente do BCP aproveitou ainda para deixar um aviso: os prejuízos da venda do Novo Banco não podem comprometer a estabilidade e os rácios dos bancos. E disse lembrou que "depressa e bem não há ninguém”.