Os bancos antecipam um aumento da procura de crédito à habitação e ao consumo até março deste ano, depois de já terem verificado esta tendência no final de 2017, segundo o Inquérito sobre o Mercado de Crédito do Banco de Portugal.

No segmento dos particulares, as instituições reportaram um ligeiro aumento da procura de crédito no último trimestre do ano [entre outubro e dezembro], para aquisição de habitação ou para consumo e outros fins. Entre os fatores que contribuíram para o aumento da procura, os bancos destacaram a melhoria da confiança dos consumidores”, disse hoje o Banco de Portugal em comunicado, a propósito dos resultados do inquérito aos cinco maiores bancos que operam em Portugal.

Para os primeiros três meses deste ano, até março, quatro instituições de crédito anteciparam que continue a haver “um ligeiro aumento da procura de empréstimos em ambos os segmentos de crédito”.

Quanto às empresas, as respostas dos bancos indicam que não houve “alterações de relevo na procura de empréstimos ou linhas de crédito por parte das empresas, por comparação com o trimestre anterior, e que não esperam “alterações significativas na procura de empréstimos por parte das empresas”.

Quanto aos critérios de concessão de crédito, tanto para as empresas como para os particulares, os bancos dizem que permaneceram estáveis no trimestre anterior e que não esperam “alterações nos respetivos critérios de aprovação de crédito concedido a empresas e a particulares”.