Podem vir aí mais estímulos à economia para compensar a saída do Reino Unido da União Europeia e é essa expetativa que está a animar os investidores esta sexta-feira.

Ontem mesmo, o Banco de Inglaterra admitiu um corte de juros para tentar contrariar o impacto negativo na economia britânica do Brexit.

A Europa abriu por isso em alta. O PSI20 ganhou 0,51% para 4.476,48 pontos e mantêm-se particamente inalterado. Entre os pares da Europa, o espanhol Ibex está em queda numa altura em que Mariano Rajoy anda a braços com o futuro Governo para o qual vai iniciar negociações.

De regresso a Lisboa, a estrela da abertura foi o BCP subiu cerca de 5%, com os analistas a verem com bons olhos a possibilidade do banco ficar completamente afastado da corrida ao Novo Banco. É que ontem terminava o prazo. Hoje quatro propostas mas a instituição liderada por Nuno Amado não apresentou qualquer uma. Ao que a TVI apurou Nuno Amado terá escrito ao Banco de Portugal deixando em aberto uma futura avaliação, caso o processo em curso não seja finalizado com sucesso.

O título do BCP sobe a esta hora 2,75% para 0,0187 euros.

Um pouco mais abaixo mas com bom desempenho volta a estar a Jerónimo Martins, ganha 1,4% para 14,6 euros.

Mas atrás no campeonato dos ganhos a Sonae Capital que cresce 1,1% para 0,55 euros.

A Nos também sobe, 0,073% para 5,454 euros. Ontem a empresa liderada por Miguel Almeida foi notícia ao comunicar o financiamento em 100 milhões de euros de dois novos programas de papel comercial no valor de 20 milhões de euros cada, a que acresce a emissão de novas obrigações no montante de 60 milhões de euros. 

Pela negativa, a esta hora, Pharol (-096% para 0,103 euros), The Navigator (-0,16% para 2,51 euros), CTT (-0,01% para 7,113 euros), BPI (-0,09% para 1,107 euros) e Galp (-0,24% para 12,47 euros), Num dia que pode ser de mais otimismo para as energéticas, já que o petróleo revela tendência de alta nos mercados internacionais.