As taxas aeroportuárias cobradas às companhias aéreas aumentam esta segunda-feira 7,56% no aeroporto de Lisboa e 1,50% no aeroporto do Porto, decorrente de um crescimento do tráfego acima do previsto, de acordo com a ANA - Aeroportos de Portugal.

Segundo a empresa liderada por Ponce Leão, este aumento é o quarto desde a privatização da gestora de dez aeroportos portugueses, ganha pelo grupo francês Vinci, no início de 2013. O próximo aumento acontece a 01 de janeiro de 2015, o que já foi contestado pelas companhias aéreas.

Apesar da frequência da atualização das taxas, a ANA realça que a soma dos aumentos nos últimos cinco anos é inferior a um euro (97 cêntimos), por passageiro, ficando o aeroporto de Lisboa, ainda assim, 22% abaixo da média do grupo de aeroportos de comparação, nomeadamente o de Madrid, onde o valor cobrado por passageiro fica 78% acima do preço praticado na capital portuguesa.

Quando em agosto anunciou este aumento, a ANA explicou que o tráfego acumulado à data de 30 de junho de 2014 era significativamente superior ao previsto em 2013 e as perspetivas de evolução para o verão da IATA indicavam um desempenho no segundo semestre que irá acentuar ainda mais esta tendência.

«Tendo em conta os montantes de desvios de receita regulada a recuperar, considera-se justificado a recuperação dos défices estimados, procedendo ao reajustamento das taxas reguladas no aeroporto de Lisboa e do Porto no mês de dezembro de 2014», adiantava então o presidente Jorge Ponce de Leão.

Ainda assim, a empresa detida pelos franceses da Vinci esclarece que este aumento é «apenas uma recuperação parcial» do desvio, correspondente a 46% do desvio apurado em Lisboa e 26% no Porto.

«Esta decisão procura evitar o avolumar do valor das taxas não cobradas às companhias aéreas, a recuperar dois anos mais tarde, e promover uma evolução mais estável das taxas entre 2014 e 2015, ao mesmo tempo que mantém suficiente margem de segurança para absorver, caso ocorra, qualquer abrandamento no ritmo de crescimento de tráfego daqueles aeroportos», acrescenta.

Em novembro, o aeroporto de Lisboa registava uma taxa de crescimento de tráfego de 13,6% e o do aeroporto do Porto de 8,5%.

A ANA recorda que para aumentar a capacidade e qualidade da oferta vão ser investidos 275 milhões de euros até 2018 nos aeroportos portugueses, que, após a privatização, viram aumentar em seis o número de companhias aéreas a operar de forma regular.

Entretanto, a RENA - Associação das Companhias Aéreas apresentou uma reclamação, pedindo ao Instituto Nacional de Aviação Civil a suspensão do aumento previsto para 01 de janeiro.