O ministro da Economia considera que os preços dos bilhetes aéreos em Portugal «são muito competitivos», recusando por isso apelar às companhias para que reflitam a baixa dos preços do petróleo nas tarifas, como fez o Governo espanhol.

«Nós temos um regime de companhias aéreas a operar em Portugal perfeitamente liberalizado que inclui – além da transportadora aérea portuguesa, a TAP – múltiplas outras companhias. É um setor perfeitamente concorrencial e quanto mais concorrência tivermos mais os interesses dos consumidores são defendidos. Acho que não compete a um Estado moderno, num setor tão concorrencial, estar a interferir nos preços das companhias aéreas», declarou hoje Pires de Lima, em Madrid.

Na semana passada, a ministra do Fomento de Espanha, Ana Pastor, anunciou que o seu ministério - com a pasta dos transportes - convocou os responsáveis das companhias aéreas e das empresas de navegação para apelar a que repercutam nos preços dos bilhetes do transporte aéreo e marítimo a baixa do preço do barril de petróleo.

«É necessário e de justiça» que a redução do preço do crude, que está em mínimos de quase seis anos, «chegue à economia real», disse Ana Pastor. O seu secretário de Estado das infraestruturas, Julio Gómez-Pomar, ressalvou no entanto que essa decisão cabe exclusivamente às empresas.

Já o ministro espanhol com a pasta do Turismo, José Manuel Soria, declarou na semana passada que a redução do preço do petróleo «já deveria estar a ver-se no custo do transporte aéreo» e anteviu melhorias no turismo espanhol quando tal acontecer.

Questionado sobre se o Governo português estaria a pensar em apelar às companhias aéreas para que refletissem a baixa do custo do petróleo no preço dos bilhetes, Pires de Lima disse: «Não estou aqui, seguramente, para imitar aquilo que o governo espanhol faz em relação às companhias aéreas».

Para o ministro português, «compete ao Estado assegurar que o setor [da aviação] é aberto à concorrência, com muitas empresas a prestar os seus serviços».

«Não sei como é em Espanha, mas em Portugal há muitas empresas a prestar os seus serviços e temos uma situação de preços muito competitivos», disse o ministro português.

António Pires de Lima está em Madrid para a Feira Internacional de Turismo de Madrid (FITUR), onde na quarta-feira inaugura o stand português. Hoje, o ministro esteve no Fórum Global de Turismo de Espanha e reuniu-se com o ministro José Manuel Soria.