Os pilotos da companhia aérea alemã Lufthansa estenderam esta terça-feira a greve aos voos de longo curso depois de, na segunda-feira, a paragem ter incidido sobre as rotas nacionais, mantendo a luta com a empresa sobre as condições para a reforma antecipada.

Nota a Lusa que, o protesto laboral arrancou às 06:00 (05:00 em Lisboa) e vai estender-se até pouco antes da meia-noite (23:00 em Lisboa), tal como previsto quando foi anunciada a greve na sexta-feira passada.

A Lufthansa, a maior companhia aérea da Alemanha, cancelou 1.511 voos, afetando cerca de 166.000 passageiros em vários países.

O sindicato de pilotos Cockpit Verein (CV) apontou hoje o «claro sinal» enviado à companhia com esta greve, que entre segunda e terça-feira soma 35 horas, segundo o seu porta-voz Markus Wahl.

Por sua vez, o porta-voz da Lufthansa Andreas Bartels disse, em declarações ao canal de televisão público «ARD», que é necessária «prontidão» por parte dos pilotos para continuarem a negociar e acertar posturas para «resolver o conflito».

O principal ponto de desacordo entre os pilotos e a companhia é a alteração das regras para a reforma antecipada, que poderia abranger, até agora, os 5.400 pilotos do grupo Lufthansa e que inclui a transportadora homónima, a divisão de transporte de mercadorias Lufthansa Cargo e a filial de baixo custo Germanwings.