A TAP assegura que os passageiros afetados pela greve dos tripulantes de cabine que começou às 00:00 estão ser reencaminhados para outros voos, adiantando que o ambiente no aeroporto de Lisboa «é de tranquilidade».

«O ambiente está calmo, está tranquilo. Até agora [08:30] vi dois passageiros no serviço ao cliente e a linha [para o check-in] está vazia, não há ninguém à espera. Tem havido um ou outro caso de passageiros dos quais não dispúnhamos de contacto, mas cujos casos estão a ser resolvidos pontualmente», disse à Lusa Lúcia Cavaleiro, da comunicação da TAP.

Lúcia Cavaleiro explicou que os passageiros que fizeram reserva em agências de viagens ou via net, ou porque estavam em trânsito e não estavam contactáveis, estão a ser realocados para voos fora do período de greve.

Os tripulantes de cabine da TAP iniciaram às 00:00 de hoje o último de quatro dias de greve para exigir o cumprimento do Acordo de Empresa, que foi entretanto denunciado pela companhia aérea.

Em declarações à Lusa, Lúcia Cavaleiro escusou-se a avançar com o número de cancelamentos de voos, salientando que o «importante é dar proteção aos passageiros».

Nuno Fonseca, da direção do Sindicato do Pessoal de Voo da Aviação Civil, disse à Lusa que a greve dos tripulantes da TAP, que começou às 00:00 de hoje para exigir o cumprimento do Acordo de Empresa em vigor desde 2006, está com uma adesão perto dos 100%.

«A adesão está muito elevada, perto dos 100%. Os trabalhadores que se apresentaram ao serviço estão a cumprir os serviços mínimos”», disse.

A TAP adiantou na segunda-feira que está prevista a realização de cerca de um terço dos 280 voos programados, somando os voos operados pela Portugália Airlines, os voos declarados pelo Conselho Económico e Social como serviços mínimos e ainda cerca de 20 voos de regresso.

O CES declarou como serviços mínimos os voos Rio de Janeiro/ Lisboa, São Paulo/ Lisboa/ São Paulo, Lisboa/ Maputo/ Lisboa, Lisboa/ Funchal/ Lisboa, Lisboa/Terceira/Lisboa e Ponta Delgada/Lisboa/ Ponta Delgada.

Os tripulantes de cabine da TAP iniciaram às 00:00 desta terça-feira o último de quatro dias de greve para exigir o cumprimento do Acordo de Empresa, que foi entretanto denunciado pela companhia aérea.

A 15 de outubro, o sindicato entregou um pré-aviso de greve de quatro dias, repartido em dois períodos: o primeiro foi a 30 de outubro e 01 de novembro e o segundo cumpriu-se no domingo e termina na terça-feira.