Os passageiros com voos marcados na TAP entre 01 e 10 de maio poderão saber se têm viagem apenas com uma hora de antecedência, quando a companhia souber se os pilotos se apresentam ao serviço, devido à greve convocada.

A TAP alertou esta quinta-feira   para as “enormes dificuldades” que os passageiros com voos marcados para os próximos dez dias terão na sequência da greve convocada pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), dado que desta vez - pela duração da paralisação - o número de ligações canceladas antecipadamente será reduzido.

Ainda assim, a companhia elaborou uma lista de voos para os primeiros três dias que não se irão realizar, em função da prioridade e da taxa de ocupação, e está a informar os passageiros com reservas para essas ligações.

Depois, só estão garantidas as 276 ligações incluídas nos serviços mínimos, mas a TAP tem a convicção de que um conjunto grande de pilotos se apresentará ao serviço e, por isso, poderá ter uma operação mais alargada.

Mas os pilotos - como a restante tripulação - apenas tem de se apresentar uma hora antes da partida, por isso, só nessa altura haverá certezas sobre a realização de cada voo.

“Com uma média diária nos próximos dias de 296 voos, a TAP tem garantidos os voos de serviços mínimos. Todos os restantes dependerão da adesão dos pilotos à greve”, refere a TAP em comunicado, pedindo aos passageiros com voos incluídos nos serviços mínimos que reconfirmem a intenção de viajar.

A TAP adianta que, na análise dos voos, verificou que "muitos passageiros já terão optado por outras alternativas, mantendo embora as reservas originais", apelando para que cancelem para poderem destinar esses lugares a outros passageiros.

Desde logo, a companhia alerta “para as dificuldades de atendimento, tanto nos aeroportos, como no ‘contact center’, mas o pessoal que estará de serviço fará o melhor que lhe for possível para resolver os problemas que sejam colocados”.

Os passageiros terão acesso à informação atualizada com regularidade sobre a operação na página da TAP na internet ou na página da companhia no Facebook.

Na véspera da greve dos pilotos, a TAP realçou que “os serviços têm trabalhado incessantemente para encontrar soluções que minimizem as consequências mas, numa greve de dez dias seguidos, é impossível à companhia resolver parte dos problemas colocados”.