A empresa brasileira Embraer anunciou esta segunda-feira, através de um comunicado à imprensa, o pedido de 17 aeronaves feito pelo grupo Air France-KLM, num valor de 764 milhões de dólares (705 milhões de euros).

O pedido à empresa aeronáutica brasileira inclui quinze jatos E175 (com capacidade para 88 passageiros) e dois aviões E190 (114 passageiros) para a KLM Cityhopper, uma subsidiária regional da KLM.

«O contrato também inclui opções para 17 E-Jets adicionais para a KLM Cityhopper ou para a HOP!, que é uma subsidiária regional da Air France», indicou o comunicado, citado pela Lusa.

Segundo a nota, o contrato poderá chegar aos 1,5 mil milhões de dólares (cerca de 1,38 mil milhões de euros), no caso de todas as opções serem concretizadas.

Estas 17 aeronaves vão juntar-se «aos 28 E190 que atualmente operam com a KLM Cityhopper, substituindo os 19 jatos Fokker F70, que a companhia aérea está a retirar de operação», informou a Embraer.

De acordo com a empresa brasileira, a entrega do primeiro E190 está programada para ocorrer até ao final do ano e o primeiro E175 vai se juntar à frota da KLM Cityhopper no primeiro semestre de 2016.

«A decisão da KLM Cityhopper de adquirir mais E-Jets é um grande endosso e a confirmação de que o E-Jets são os aviões mais eficientes, confortáveis e de menor custo operacional no segmento de 80 a 110 passageiros», disse Paulo César Silva, presidente da Embraer Aviação Comercial, citado no comunicado.

A KLM Cityhopper opera cerca de 300 voos diários para a KLM.

Esses voos servem cidades em toda a Europa, 54 das quais são essencialmente destinos de negócios. Todos os dias, cerca de 18 mil passageiros voam em aviões da KLM Cityhopper.

A Embraer tem duas fábricas em Évora, sul de Portugal - produzem estruturas metálicas e de compósitos - que foram inauguradas a 21 de setembro de 2012, após um investimento de quase 180 milhões de euros.