Injecção imediata de centenas de milhões de euros, aviões novos e distribuição dos lucros pelos trabalhadores são algumas das propostas conhecidas dos candidatos à privatização da TAP. 

A TVI sabe que o norte-americano David Neeleman e o colombiano German Efromovich pretendem comprar 61% da transportadora aérea nacional. Os dois investidores propõem-se a injetar entre 300 a 350 milhões de euros na TAP, enquanto o Estado arrecadará entre 20 a 35 milhões de euros com o negócio.

Dono da brasileira Azul e da americana JetBlue, Neeleman, que concorre em consórcio com o português Humberto Pedrosa, presidente da Barraqueiro, propõe comprar 53 novos aviões e aumentar a oferta comercial da TAP.

A proposta de Efromovich, dono da brasileira Avianca, tem já 12 aviões prontos para a TAP operar e propõe a renovação da frota da Portugália nos seis meses seguintes à conclusão do negócio.

De acordo com a edição deste sábado do jornal “Público”, os investidores norte-americano e colombiano prometem distribuir lucros pelos trabalhadores, entre os 10% e os 20%, para pacificar o ambiente na empresa.

A terceira proposta, candidata à compra da TAP, tem apenas a assinatura do empresário português Miguel Pais do Amaral. Foi entregue em cima do prazo e de surpresa, e ainda não são conhecidos detalhes.

O Governo anunciou na sexta-feira que há três candidatos “competitivos” à compra da transportadora aérea nacional. O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, não confirmou os nomes, mas a comunicação social avança que são o norte-americano David Neeleman, o colombiano German Efromovich e o português Miguel Pais do Amaral.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, espera que o processo de privatização da TAP possa ficar concluído em Junho.