A fabricante alemã Volkswagen revelou esta terça-feira que cerca de 11 milhões de carros são suspeitos de estarem envolvidos no escândalo da manipulação de dados sobre emissões.

A marca disse ainda que está "a pôr de lado" 6,5 mil milhões de euros para fazer face a custos de serviços e outras despesas relacionadas com esta situação e referiu ainda que espera restabelecer a confiança com os consumidores.

Esta manhã, o ministro das Finanças francês pediu que seja realizada uma investigação “em toda a Europa” após a revelação de falsificação dos  testes de emissões no mercado norte-americano.

Michel Sapin disse à rádio francesa que, de modo a “tranquilizar” o público, é “necessário” levar a cabo verificações nos carros fabricados por outras empresas europeias.

A Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos acusou a Volkswagen de falsear o desempenho dos motores em termos de emissões para a atmosfera através de um 'software' incorporado no veículo, enfrentando uma multa que pode ir até aos 18 mil milhões de dólares (cerca de 15,9 mil milhões de euros ao câmbio de hoje).

Entretanto também foi anunciado que os representantes da Volkswagen foram convocados pelo Governo sul-coreano para discutir os testes de emissão de poluentes depois de o fabricante automóvel ter sido acusado de manipular os resultados.

O Governo alemão já pediu à Volkswagen que colabore com os EUA.