É a maior queda nos resultados em pelo menos 15 anos: A Volkswagen registou prejuízos de 3,48 mil milhões de euros no terceiro trimestre, o que comparada com 3,23 mil milhões de lucro alcançados no período homólogo. Veja o relatório.

São resultados que já eram esperados pelos analistas e coincidem com o escândalo da manipulação de emissões de gases poluentes, que foi tornado público no passado mês de setembro. E já incluem os 6,7 mil milhões de euros que a fabricante reservou para fazer face aos custos relacionados com o escândalo.

No entanto, as vendas da marca até aumentaram 5,3% comparativamente ao mesmo trimestre do ano passado, totalizando 51,49 mil milhões de euros.

O presidente executivo do grupo, Matthias Müller, admite que pode ser necessário colocar mais dinheiro de parte para assegurar medidas que estabilizem as vendas, caso sejam afetadas. Essas medidas poderão passar por descontos em carros novos, mediante a entrega do antigo, empréstimos mais baratos ou incentivos para os stands comprarem carros usados.

Já este mês tinha sido noticiado que Volkswagen iria cortar cerca de mil milhões de euros por ano nos investimentos planeados,para tentar acelerar o plano de eficiência posto em prática para mitigar as perdas sofridas devido ao escândalo.

Também este mês o Financial Times revelou que  comissário europeu do Ambiente advertiu, em 2013, os seus colegas de que os fabricantes de carros estavam a manipular motores para passar nos testes de emissões poluentes, muito antes do escândalo da Volkswagen.

 A Volkswagen já  suspendeu 10 gestores desde que foi conhecido o escândalo em torno da manipulação de emissões, que levou à queda do presidente executivo do grupo,  Martin Winterkorn.  

O grupo anunciou que vai chamar à revisão  8,5 milhões de carros afetados na Europa.