O fabricante japonês Mitsubishi Motors admitiu hoje ter utilizado métodos de testes inapropriados nos últimos 25 anos, ampliando o escândalo de fraude do desempenho energético de uma parte dos seus veículos revelado na semana passada.

“Temos utilizado este método para o mercado doméstico desde 1991”, disse um funcionário do grupo durante uma conferência de imprensa, afirmando não saber ainda quais os modelos envolvidos.

A 20 de abril, a Mitsubishi Motors admitiu ter manipulado testes de emissões poluentes em, pelo menos, 625.000 veículos, alguns dos quais construídos para a Nissan.

O anúncio surge numa altura em que a indústria automóvel tem sido sujeita a fiscalizações mais apertadas, depois de a alemã Volkswagen se ver envolvida num escândalo relacionado com fraudes nos testes de emissões.