O Banco Comercial Português (BCP) vai aumentar o capital em 1,33 mil milhões de euros, usando parte desta receita para reembolsar integralmente os 700 milhões de euros em instrumentos híbridos detidos pelo Estado Português, confirmou o banco esta segunda-feira.

O BCP pretende utilizar as receitas do aumento de capital para reembolsar integralmente os instrumentos híbridos detidos pelo Estado Português ('CoCos') prontamente após a conclusão da Oferta Pública de Subscrição", lê-se no comunicado enviado pelo BCP à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em causa estão 700 milhões de euros em 'CoCos' (dívida que pode ser transformada em ações em determinadas circunstâncias), uma vez que o BCP tinha já reembolsado 50 milhões de euros ao Estado a 30 de dezembro de 2016.

Além disso, as receitas obtidas com esta operação vão ainda permitir ao BCP "robustecer o seu balanço", conforme salientou o banco liderado por Nuno Amado.

De resto, o BCP revelou que "recebeu já autorização do Banco Central Europeu e do Banco de Portugal para o reembolso integral dos 'CoCos'".