Já estão agendadas audições na comissão parlamentar de inquérito ao Banco Espírito Santo e Grupo Espírito Santo, até 17 de março. Nesse dia, será ouvido o vice-primeiro-ministro Paulo Portas, pelas 15 horas.

Os deputados consideraram crucial ouvir o governante, sobretudo depois de Ricardo Salgado ter revelado, por carta, a 29 de janeiro último, que falou com Paulo Portas, sobre os problemas do BES.  

O nome do vice-primeiro-ministro também vem sendo associado à comissão de inquérito, depois do recente arquivamento do processo da compra dos submarinos, na altura em que exercia o cargo de ministro da Defesa. A deputada eurodeputada socialista Ana Gomes teceu várias acusações a Paulo Portas, em dezembro de 2014, dizendo mesmo que «esteve ao serviço da ESCOM e do BES». A troca de acusações entre ambos ganhou novos contornos em janeiro. 

Voltando ao calendário de audições, logo pela manhã, às 9h, no mesmo dia 17 de março, será a vez do presidente do BPI, Fernando Ulrich, prestar os seus esclarecimentos aos deputados.

Outro dos nomes já confirmados é Miguel Frasquilho, o atual presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), que foi deputado do PSD e diretor coordenador do Espírito Santo Research prestará o seu contributo no dia 12, pelas 16 horas.

Na semana passada, o presidente da comissão de inquérito, o deputado Fernando Negrão, revelou que os partidos com assento na comissão consideraram estas três audições essenciais, na fase em que se encontram os trabalhos dos deputados.

«Para já consideramos como essenciais as audições do doutor Miguel Frasquilho, doutor Fernando Ulrich e doutor Paulo Portas. Estas serão as [que se seguirão]» às já marcadas, afirmou Fernando Negrão. Sabemos agora as datas.

Esta semana, já na terça-feira, dia 24 de fevereiro, será ouvido Gonçalo Cadete, administrador financeiro da Rioforte (09:00), e os administradores do Banco Espírito Santo (BES), Jorge Martins e João Freixa (15:00). 

No dia 26 de fevereiro, pelas 16:00, será a vez de Zeinal Bava, o ex-presidente da Oi, seguido por Henrique Granadeiro, ex-presidente da PT, no dia 4 de março, pelas 16:00.

A 5 de março entra em cena o administrador financeiro da PT SGPS, Luis Pacheco de Melo, à mesma hora. A 10 de março, será o presidente da Associação Portuguesa de Bancos, Fernando Faria de Oliveira.