A Comissão Europeia afirmou hoje que tomou nota da abertura da bolsa de Atenas, que iniciou a sessão em queda de mais de 22%, depois de cinco semanas encerrada, mas escusou-se a fazer qualquer comentário sobre a situação.

Atenas acabaria por fechar a perder 16,23%, uma queda histórica em dia de reabertura. O índice Athex encerrou em 668,06 pontos, recuperando ligeiramente ao longo da sessão, depois da queda inicial.

O principal índice bolsista grego (ASE) iniciou hoje a semana a cair 22,87%, uma queda já esperada pelos analistas devido às restrições resultantes do controlo de capitais em vigor na Grécia.

"A Comissão Europeia toma nota da decisão das autoridades competentes gregas de reabrir a bolsa de Atenas este 03 de agosto", afirmou hoje a porta-voz comunitária Mina Andreeva, num encontro com os media.


No entanto, "não temos qualquer comentário sobre a evolução dos mercados, como é habitual", acrescentou.

A bolsa de Atenas reabriu depois de estar encerrada durante cinco semanas devido ao controlo de capitais imposto pelo Governo grego e pela realização do referendo sobre a proposta dos credores.

Apesar das perdas, a bolsa grega conseguiu aliviar a queda perto do fecho, quando passou a recuar cerca de 16%.

Os quatro maiores bancos chegaram a cair mais de 30%, em linha com o esperado pelos analistas. 

Os bancos gregos enfrentam uma situação de grande vulnerabilidade devido ao levantamento de milhares de milhões de euros de depósitos ao longo dos últimos seis meses.  

Cerca de 40 mil milhões de euros foram retirados dos bancos gregos desde dezembro, de acordo com a associação de bancos grega, e as quatro maiores instituições de crédito - Banco Nacional, Pireu, Alpha e Eurobanco - vão ser sujeitos a uma análise à qualidade do balanço dos seus ativos no final do mês.  

A última sessão em que a Bolsa de Atenas tinha negociado até registou ganhos de 1,6%, com a expetativa de que o Governo do Syriza chegasse a acordo com os credores para receber a última tranche do resgate financeiro.