A deputada do PSD e ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque confirmou esta quinta-feira a sua contratação pela Arrow Global para administradora não executiva, defendendo não ter "nenhuma incompatibilidade ou impedimento legal" com atuais ou anteriores funções políticas.

A função de administradora não executiva não tem nenhuma incompatibilidade ou impedimento legal pelo facto de ter sido ministra de Estado e das Finanças e de ser deputada. Qualquer outra leitura que possa ser feita desta nomeação só pode ser entendida como mero aproveitamento político-partidário", afirmou Maria Luís Albuquerque, em comunicado.

A ex-ministra das Finanças foi nomeada para diretora não executiva do grupo Arrow Global, o qual tem em Portugal clientes como o Banif, o Millennium BCP ou o Montepio, com efeitos a 07 de março e que a agora deputada vai integrar o comité de risco e auditoria.

O PCP já anunciou que vai levar a matéria à subcomissão parlamentar de Ética.

Nenhuma decisão tomada pela empresa no passado foi condicionada ou influenciada por qualquer tipo de decisão que eu tenha tomado", declara Maria Luís Albuquerque, no comunicado.

A ex-ministra das Finanças do Governo PSD/CDS-PP sublinha que as funções que desempenhará no grupo britânico "são de natureza estritamente não executiva, isto é, sem participação nas decisões sobre negócios em concreto, em Portugal ou noutros países".

De acordo com a deputada e ex-governante, o objetivo da sua contratação "é de aportar valor à empresa sobre matérias de enquadramento macroeconómico e regulatório ao nível europeu, sobretudo da Europa continental".

Num comunicado publicado na sua página oficial, a Arrow Global informa que indicou a Maria Luís Albuquerque como diretora não executiva e, destacando os cargos públicos desempenhados pela ex-ministra, o presidente do Conselho de Administração do grupo, Jonathan Bloomer, mostra-se satisfeito com a nomeação.

Jonathan Bloomer considera que a experiência de Maria Luís Albuquerque como governante e na Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) "vai enriquecer" o grupo, que prevê "expandir-se a novas geografias e novas classes de ativos".

Segundo uma apresentação a investidores do verão em 2015, publicada na página do grupo na Internet, a Arrow Global gere em Portugal uma carteira de crédito de 5,5 mil milhões de euros, tendo entre os clientes os bancos Banif, Millennium BCP, Montepio, Santander, Banco Popular, entre outros.

No setor não financeiro, entre os clientes da Arrow Global estão as companhias de seguros Açoreana e AXA, bem como a empresa de telecomunicações Vodafone.