O Banco de Portugal apreendeu 8.587 notas contrafeitas em 2015, menos 663 do que em 2014, segundo o relatório de atividades do banco central hoje divulgado.

As notas mais apreendidas foram as de 20 euros, no total de 4.755, exatamente o mesmo número do ano anterior, seguindo-se as notas de 50 euros, das quais foram apreendidas 2.404 unidades, menos 484 notas do que em 2014.

O total de notas apreendidas em Portugal representa 1% do total de notas contrafeitas retiradas de circulação na zona euro.

Quanto a moedas, no ano passado foram apreendidas 3.424 moedas, menos 929 do que em 2014.

Mais 155 processos de contraordenação do que em 2015

O Banco de Portugal instaurou 283 processos de contraordenação em 2015, mais 155 processos do que no ano anterior, divulgou o banco central.

No Relatório de Atividades de 2015, o Banco de Portugal diz que “a atividade sancionatória foi particularmente exigente em 2015”, o que, segundo a entidade, se deveu ao aumento “expressivo” dos processos de contraordenação instaurados mas também ao facto de ter trabalhado "em processos de especial dimensão e complexidade, que mobilizaram uma parte muito significativa dos recursos afetos à ação sancionatória”.

A entidade liderada por Carlos Costa diz que é isto precisamente que explica a diminuição dos processos decididos em 2015, que foi de 82, abaixo dos 99 processos decididos em 2014. No total, o Banco de Portugal tinha no final do ano passado 372 processos de contraordenação em curso.

Ainda em 2015, foram analisados 33 processos de eventual reavaliação da idoneidade de gestores bancários, o que diz o Banco de Portugal "levaram em alguns casos ao cancelamento do registo para o exercício dos cargos em questão ou à renúncia, por iniciativa dos visados, ao exercício de funções".