Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a NOS revela que a renúncia formal do seu administrador foi consumada.

A operadora NOS, fruto da fusão da Optimus com a ZON, adianta que recebeu da parte do administrador António Domingues o seu pedido de renúncia ao cargo.

Numa comunicação enviada ao presidente da NOS, António Domingues apresentou a sua renúncia ao cargo de vogal do Conselho de Administração, explicando que a "decisão decorre do convite" feito pelo Estado português, enquanto acionista da CGD, para assumir a presidência do banco público, o qual aceitou.

Domingues deverá acumular os cargos de presidente e administrador executivo da Caixa Geral de Depósitos, uma situação de exceção aprovada pelo Banco Central Europeu.