O Deutsche Bank pode estar perto de um acordo com as autoridades norte-americanas para pagar 5,4 mil milhões de dólares e resolver um litígio sobre crédito imobiliário, disse à AFP hoje fonte próxima do processo.

O Ministério da Justiça norte-americano tinha pedido 14 mil milhões de dólares (12,4 mil milhões de euros) ao banco alemão para resolver este diferendo, que remonta à crise financeira de 2008, o que acelerou a queda das ações do Deutsche Bank em bolsa e levou a um aumento da preocupação no setor bancário europeu.

Agora, esse montante poderá ser reduzido para 5,4 mil milhões de euros (4,8 mil milhões de euros), que estariam em linha com os 5,5 mil milhões que o banco colocou de lado para resolver o contencioso.

Foi com a expetativa de um desfecho menos penoso para o maior banco alemão que as ações acabaram a sessão de sexta-feira na Europa em alta de 6,39% para 11,57 euros.

Antes, também esta sexta-feira, as ações chegaram a cair mais de 9% e a valerem menos de 10 euros cada. Algo nunca visto e que levou presidente executivo da instituição, John Cryan, a enviar uma carta aos colaboradores tentar tranquilizá-los.