A confiança dos investidores alemães aumentou para 49,6 pontos em setembro, pelo segundo mês consecutivo, dando um sinal de otimismo que de que a maior economia da Europa vai continuar a crescer acompanhada por uma recuperação global.

O inquérito mensal do Instituto ZEW, com sede em Mannheim, sobre a confiança económica dos investidores e analistas subiu para 49,6 pontos em setembro perante os 42 pontos de agosto, fixando-se no máximo dos últimos três anos e meio, indicou a agência Bloomberg.

Os economistas previam que o índice ZEW ficasse pelos 45 pontos, de acordo com a estimativa dos 37 especialistas consultados pela agência norte-americana.

O indicador ZEW tem como objetivo prever a evolução da economia com seis meses de antecedência.

Segundo o instituto, a Alemanha vai beneficiar de uma maior procura interna dos seus produtos por parte do conjunto dos países da zona euro, o maior parceiro comercial do país, depois de terem passado por uma recessão muito prolongada.

O Banco Central Europeu (BCE) tem, contudo, alertado repetidamente para o facto de a recuperação na Zona Euro «ser frágil».

O economista-chefe da Union Investment GmbH, em Frankfurt, afirmou, antes da apresentação do índice ZEW, que a confiança dos investidores «melhorou muito com as notícias da estabilização da Zona Euro».