O Governo vai avaliar a possibilidade de alargar a suspensão das normas das convenções coletivas relativas às horas extraordinárias, de modo a impedir que o seu custo dispare em agosto, escreve o Jornal de Negócios.

O Memorando de Entendimento anterior já falava da hipótese de se reduzir a duração da vigência dos efeitos das convenções coletivas, sem no entanto referir a hipótese de suspensão. Em causa está uma medida com efeitos diretos na remuneração dos trabalhadores em muitos setores de atividade.

O Tribunal Constitucional permitiu que durante dois anos os valores sobre horas extra estabelecidos em convenções coletivas fossem suspensos, mas anulou a norma que determina que, findos esses dois anos, estes teriam de cair para metade.