A SATA tem um novo avião, um  Airbus 330, que vai operar pela primeira vez na sexta-feira, numa viagem com origem em Ponta Delgada e destino em Boston, nos Estados Unidos da América.

Na cerimónia de batismo do avião, no aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, o presidente da SATA, Paulo Meneses, considerou este um “grande passo” para a transportadora.

O novo A330 do grupo, que tem como madrinha a cantora luso-canadiana Nelly Furtado, foi batizado com o nome Ciprião de Figueiredo, autor da frase “Antes Morrer Livres do que em Paz Sujeitos”, adotada como divisa da Região Autónoma dos Açores.

“Distinguiu-se como corregedor dos Açores, no contexto da crise de sucessão de 1580, tendo sido, durante a sua governação no arquipélago, responsável pela fortificação e defesa da ilha Terceira, que levou à vitória da celebrada batalha da Salga”, informa numa nota de imprensa da companhia, explicando que “a aeronave reforçará a frota da recente marca Azores Airlines e vai permitir assegurar a operação na América do Norte”.

Uma "aposta renovada" para os Açores

Para o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, este momento marca, “de forma simbólica, a entrada ao serviço de uma nova aeronave”, mas “traduz também uma aposta renovada, sobretudo em rotas de médio e longo curso”, como as ligações dos Açores com os Estados Unidos da América e com o Canadá.

“Uma aposta que se dirige não apenas à ligação e ao reforço dessa ligação com as nossas comunidades emigradas, mas que pretende ir um pouco mais além, tentando chegar mesmo àqueles que não têm uma ligação afetiva com as nossas ilhas”

Segundo o governante, a Azores Airlines, que assegura as ligações para o exterior do arquipélago, “acaba de dar passos muito concretos neste reforço de ligação”.

Como exemplo, apontou com uma nova operação com origem em Ponta Delgada e destino em Providence, nos Estados Unidos da América, a iniciar no dia 30 de junho, além de “um acréscimo de lugares” de cerca de 40% face a 2015 e numa “ligação reforçada entre Ponta Delgada e Montreal, no Canadá”.

Vasco Cordeiro referiu-se depois ao novo modelo de acessibilidades aéreas à região, dizendo ser “um desafio muito considerável para o grupo SATA”, perante o qual a transportadora “tem sabido estar à altura”, embora “não isento de dificuldades e desafios”.

A aeronave hoje batizada possui um visual assente no verde e na imagem de um cachalote, ambos elementos distintivos dos Açores.

Em declarações à agência Lusa em fevereiro último, o presidente do grupo SATA afirmou que se está a trabalhar na chegada de mais uma aeronave A330, no quadro do plano de negócios delineado pelo grupo e aprovado pelo Governo dos Açores, cuja região é acionista única da empresa, integrando um processo de médio prazo.

Os A330, que vão substituir os A310 da companhia, têm capacidade para um total de 284 passageiros, um volume de carga de 136 metros cúbicos e, apesar de o custo com combustível ser maior, em comparação, por exemplo, com o Boeing 767-300ER, torna-se mais económico porque transporta um maior número de passageiros e em maior conforto.