A Agência Internacional de Energia (AIE) prevê um aumento da procura global de petróleo em 2015 para 1,4 milhões de barris por dia, mais 200 mil que os previstos para este ano.

No relatório mensal sobre o mercado do petróleo, a AIE sublinha que esta estimativa resulta da aparente rápida recuperação das refinarias e da expetativa de que a economia global dê um impulso, apesar dos riscos de fornecimento no Médio Oriente e no norte de África se manterem «extraordinariamente elevados».

A procura dos países não pertencentes à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) lidera os pedidos com 48,2 milhões de barris por dia, enquanto a estimativa de entregas aos estados da organização cai para 45,9 milhões de barris por dia.

A diferença entre os países que pertencem e não à OCDE deve-se à variação do esperado crescimento das economias, de 2,5% para os primeiros e de 5,3% para os segundos, bem como ao facto do crescimento económico se vincular ou não a um maior gasto em petróleo.

O fornecimento global de petróleo manteve-se em junho em 92,6 milhões de barris por dia e nos países não pertencentes à OCDE estima-se que para o ano haja um aumento de 1,2 milhões de barris por dia, quantidade em linha com os níveis de crescimento de 2013 e 2014.

Em relação às reservas, o inventário comercial da OCDE registou em maio o quinto aumento consecutivo, para se cifrar em 2.639 milhões de barris por dia, tendo reduzido o défice médio para 69,6 milhões de barris por dia, contra 106,1 milhões em abril.

A AIE também constata que os preços aumentaram em meados de junho até aos 115,71 dólares por barril devido às preocupações com o prolongamento do conflito no Iraque, mas avança que se prevê uma descida posterior de três ou quatro dólares perante uma potencial recuperação do fornecimento da Líbia.