A ADSE, a Assistência na Doença dos Militares (ADM) e os Serviços de Apoio na Doença da GNR e PSP (SAD) pagam anualmente cerca de 500 milhões de euros a privados ao abrigo dos regimes convencionado e livre, disponíveis nos 4 subsistemas de proteção dos funcionários públicos, revela o Diário de Notícias.

A maior contribuinte é a ADSE: no Relatório e Contas de 2012, entre regime livre e convencionado foram pagos 411 milhões de euros, valor que em 2004 era de 283 milhões.

No caso dos beneficiários da ADM, só desde 2002 passaram a poder deslocar-se à rede do SNS sem que o seu subsistema tivesse de pagar ao Estado, situação que ainda não ocorre com o subsistema da GNR e PSP.