A Frente Comum da Administração Pública exigiu hoje aumentos salariais de 4% para 2018, com um mínimo de 60 euros para todos os trabalhadores, e anunciou uma ação de luta nacional, que poderá ser uma greve ou uma manifestação a realizar em outubro ou novembro.

O anúncio foi feito aos jornalistas pela coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila, em frente do Ministério das Finanças, onde a dirigente sindical entregou esta manhã uma resolução aprovada ontem na cimeira de sindicatos daquela estrutura da CGTP.

A UGT já tinha defendido um aumento médio dos salários entre 3% e 4%, a subida do salário mínimo para 585 euros e a reposição dos escalões do IRS no próximo ano.