O grupo Volkswagen não está a sofrer grandes consequências nas vendas de automóveis em Portugal, pelo menos no mês de outubro, o mês seguinte ao rebentar do escândalo da manipulação de emissões.

Tirando a Skoda, que caiu 5% nas vendas face ao mês de setembro, as restantes marcas do grupo até aumentaram as vendas.

A Volkswagen vendeu mais 11% de veículos em outubro, o que corresponde a 1.290 unidades. A Audi teve a maior subida do grupo, cresceu 24%, o correspondente a 883 unidades. A Seat viu as vendas subirem 20% num mês, ao vender 423 veículos.

Ainda assim, o grupo cresceu menos do que o mercado total, que conseguiu um crescimento de 30% entre setembro e outubro em Portugal.

No acumulado dos 10 primeiros meses do ano, a Volkswagen vendeu 16.137 veículos em Portugal, sendo a terceira marca mais vendida, a seguir à Reunault e à Peugeot.

A noticia surge no dia em que o grupo admitiu que pode haver mais 800 mil veículos afetados com o kit de manipulação de emissões, revela a Reuters. 

O grupo estima que os riscos económicos decorrentes desta nova descoberta possam ascender a dois mil milhões de euros, mas não adiantou mais pormenores nem especificou as marcas ou tipos de motores afetados. 

Segundo a AFP, essas “inconsistências” detetadas pelo fabricante estão relacionadas com as emissões de dióxido de carbono, ou seja, diferente da manipulação de óxido de azoto que deu origem ao escândalo.