Alexandre Relvas defendeu na última noite um consenso entre PSD, CDS-PP e PS na reforma do sistema fiscal, considerando «decisivo» a existência de um sistema estável para os próximos cinco a dez anos.

«Era fundamental que os principais partidos políticos e que, sobretudo o PSD, o PP e o PS em matérias como a revisão do sistema fiscal, cheguem a um consenso para garantir estabilidade do sistema fiscal», afirmou o empresário que dirige a Logopaste, numa intervenção num jantar na Universidade de Verão do PSD, que decorre em Castelo de Vide até domingo.

Classificando como «decisivo» que se possa garantir um sistema fiscal estável para os próximos cinco a dez anos, o antigo dirigente social-democrata e diretor da primeira campanha presidencial de Cavaco Silva recordou que um dos fatores que pode influenciar negativamente os investidores estrangeiros é a mudança constante no quadro fiscal.

Alexandre Relvas manifestou, contudo, a convicção de que «vai prevalecer o bom senso e que vai haver consenso» quando a reforma do sistema fiscal for apresentada na Assembleia da República.

Porém, acrescentou, o «bom senso» terá que ser de todos os partidos.

«Tem que haver bom senso de ambas as partes, nós também temos de querer o diálogo e da parte do PS tem de haver disponibilidade e abertura para, numa matéria como esta, haver uma capacidade de também chegar a um entendimento com o PSD», sustentou.