Os estivadores do Porto de Lisboa decidiram pôr um ponto final na greve que já durava há mais de um mês, mas mantêm a manifestação que está agendada para dia 16. A decisão saiu de um plenário realizado este sábado.

O acordo que chegamos ontem nem sequer é o fim do processo em termos negociais. Há um contrato para ultimar nos próximos 15 dias e as questões da precariedade não são só do porto de Lisboa e são muito mais graves noutros portos. A manifestação continua convocada. Vamos continuar a mobilizar os estivadores e outros setores da sociedade”, justificou António Mariano, presidente do Sindicato dos Estivadores.

Ontem fizemos algo memorável em termos futuros. Não é uma vitória, mas é um bom princípio para começarmos a discutir as coisas noutros planos”, acrescentou.

Os estivadores e os operadores do porto de Lisboa chegaram esta sexta-feira à noite a um acordo que pôs fim à greve que durava já há mais de um mês. “Aceitámos aspetos que nunca pensaríamos aceitar. Fizemos alguns sacrifícios em nome de um futuro melhor”, adianta António Mariano.

acordo alcançado ao fim de quase 15 horas de reunião entre os estivadores e operadores do porto de Lisboa prevê a assinatura, dentro de 15 dias, de um novo contrato coletivo de trabalho com um prazo de vigência de seis anos.

Segundo um comunicado do Ministério do Mar, além da suspensão imediata do pré-aviso de greve, foi acordada a redação e assinatura, no prazo de 15 dias, de "um novo contrato coletivo de trabalho com base nas matérias acordadas e nas negociações decorridas entre 7 de janeiro e 4 de abril”.