O acesso à Internet em fibra ótica em Portugal foi o que mais cresceu até setembro, um aumento de 34,9% face igual período de 2013, contribuindo para o aumento da banda larga fixa, divulgou esta quarta-feira o regulador Anacom.

Em comunicado, a Anacom - Autoridade Nacional das Comunicações adianta que no final de setembro «existiam em Portugal cerca de 2,75 milhões de acessos fixos à Internet, mais 2,7% do que no trimestre anterior».

Os acessos em fibra ótica, «que aumentaram 8% no trimestre e 34,9% em termos homólogos, foram os que mais contribuíram para o crescimento verificado e já representam 21% dos acessos totais».

No entanto, a principal tecnologia de acesso à Internet em banda larga fixa continua a ser o ADSL, com um peso de 39,4%, seguido do modem cabo, com 36,4%.

«O número de utilizadores que efetivamente utilizaram Internet em banda larga móvel foi de 4,5 milhões, mais 14,9% face ao trimestre anterior e mais 24,4% em termos homólogos, números que traduzem o crescimento trimestral mais elevado de sempre», adianta o regulador presidido por Fátima Barros.

«Do total, 3,5 milhões acedem através de telemóveis», refere a Anacom, recordando que «a evolução da banda larga móvel tem sido impulsionada pelo aumento do número de utilizadores de 'smartphones' que neste trimestre já representam 47,1% do total de utilizadores de telemóvel», um crescimento de 8,7 pontos percentuais face a 2013.

A Vodafone foi em setembro o operador que mais cresceu em assinantes de acesso fixo de banda larga, enquanto a PT e a NOS registaram uma estabilização, de acordo com dados hoje divulgados pelo regulador Anacom.

Vodafone lidera crescimento

«A Vodafone foi, pelo sexto trimestre consecutivo, o prestador que, em termos líquidos, maior número de assinantes conseguiu captar, atingindo uma quota de 9,8% no final do trimestre" terminado em setembro, ou seja, mais 0,9 pontos percentuais do que nos três meses anteriores e mais dois pontos percentuais em termos homólogos, adianta a Anacom.

Em relação ao grupo PT, a quota de acessos fixos situava-se em setembro nos 49,3%, cerca de meio ponto percentual abaixo do registado no trimestre anterior, refere a Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom).

«O grupo NOS dispunha de uma quota de acessos de 34,8%, que diminuiu 0,1 pontos percentuais face ao trimestre anterior», acrescenta.

Relativamente aos clientes ativos de banda larga móvel, a quota da Meo era de 47,5%, seguida da Vodafone, com 28,1%, e da NOS, que resultou da fusão entre a Optimus e a Zon, com 24,2%.

«O tráfego de acesso à Internet em banda larga aumentou cerca de 7,1% no terceiro trimestre» deste ano, adianta a Anacom, que acrescenta que «a evolução explica-se pelo acréscimo da banda larga fixa (6,5%), que representa cerca de 95,8% do total».

Já o tráfego de acesso à Internet através de acessos móveis subiu 22,3%, principalmente através das placas/modem.

«Este tipo de tráfego, que representa cerca de 72% do total de tráfego de Internet móvel, aumentou 26,2% neste trimestre», refere.

Já o tráfego de acesso à Internet através de telemóvel «tem vindo a aumentar (13,1%), representando 27,6% do total», conclui.

As receitas do serviço de acesso à Internet móvel atingiram os 264,9 milhões de euros, mais 2% do que em igual período de 2013.