A Autoridade Tributária (AT) está a conduzir um inquérito sobre as circunstâncias que levaram destacados funcionários do Estado a aceitar uma viagem à China paga por uma empresa associada da Huawei, disse à agência Lusa fonte do Ministério das Finanças.

Também o Ministério da Saúde pediu à Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS) para averiguar os factos relacionados com esta viagem.

A notícia foi avançada pelo semanário Expresso, segundo o qual uma empresa privada associada da Huawei pagou os custos das viagens de avião e da estada na China a seis funcionários dos ministérios da Saúde e das Finanças, em 2015.

Contactada pela Lusa, fonte do Ministério das Finanças indicou que a AT está a conduzir o inquérito para “verificação das circunstâncias que levaram à autorização e aceitação da viagem em questão”.

Fonte do Ministério da Saúde também confirmou que este "pediu a intervenção da IGAS para averiguação dos factos e apuramento de eventuais responsabilidades”.

De acordo com o semanário, uma viagem realizou-se entre 2 e 6 de junho de 2015, envolvendo cinco dirigentes do Ministério da Saúde. Em fevereiro do mesmo ano, outro destacado funcionário do Estado, Carlos Santos, da AT, viajou para a China “com tudo pago”.

O jornal cita uma fonte ligada ao processo, segundo a qual a empresa de telecomunicações pagou “tudo, mesmo tudo”, incluindo a alimentação. Mais tarde, o Expresso online corrigiu a informação, destacando que as despesas foram pagas por uma empresa associada da Huawei e não diretamente pela empresa chinesa.

A viagem incluiu uma visita ao Hospital de Zheng Zhou para observar como funciona o sistema de telemedicina da unidade e outra à sede da tecnológica em Shenzhen, perto de Hong Kong.

Quem são os altos quadros do Estado envolvidos?

“Os altos quadros dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) que viajaram a convite são Artur Trindade Mimoso, vogal executivo do conselho de administração, Nuno Lucas, diretor de sistemas de informação, Ana Maurício, diretora de comunicação, Rui Gomes, diretor de sistemas de informação e Rute Belchior, diretora de compras”, lê-se na notícia do Expresso.

A Lusa questionou igualmente o Ministério das Finanças sobre estes nomes e outros que possam estar envolvidos, mas não obteve qualquer resposta a este respeito.

Os SPMS confirmaram ao jornal a deslocação “suportada pela entidade que organizou a visita”, justificando-a com “objetivos prioritários” de adquirir e partilhar conhecimentos sobre "os recursos, modelos e estratégias diferenciadoras utilizadas no âmbito da telemedicina”.

O jornal acrescenta que Carlos Santos, chefe de equipa multidisciplinar de 2.º nível do Núcleo de Sistemas Distribuídos, da AT, foi convidado para participar numa cimeira de tecnologia no quartel-general da Huawei, de 9 a 14 de fevereiro de 2015, estando em curso um inquérito interno para “o mais completo apuramento dos factos”.