Os trabalhadores da Carris decidiram agendar uma nova greve de 24 horas para o dia 14 de Maio e os trabalhadores do Metro também marcaram uma paralisação para 12 de maio .

Quanto à greve na Carris, a decisão foi tomada por todos os sindicatos, esta quinta-feira, e Paulo Gonçalves, da Comissão de Trabalhadores, confirmou que já foi entregue um pré-aviso de greve de 24 horas.
.
Em causa estão os mesmos motivos que levaram à última paralisação no dia 10 de abril: os trabalhadores contestam a subconcessão da empresa, atualmente em concurso público.

De acordo com Paulo Gonçalves, que já teve acesso ao caderno de encargos, de fora desta subconcessão ficam os elétricos, os elevadores e os ascensores.

O prazo para a entrega de candidaturas termina precisamente a 14 de maio e o objetivo da nova greve é reafirmar a posição dos trabalhadores.

O Metro também está contra a subconcessão da empresa e além da greve de 12 de maio agendou outra paralisação, mas parcial, para a próxima terça-feira, entre as 06:30 e as 10:00.

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Silva Monteiro, anunciou no final de fevereiro que a subconcessão das operações do Metro de Lisboa e da Carris deverá estar concluída até ao final de julho.

A Carris e o Metro têm uma administração comum desde o início do ano, que partilham ainda com a Transtejo/Soflusa, mas esta última ficou fora desta proposta de concessão.