Os trabalhadores da Soflusa, empresa que faz a ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa, decidiram aceitar uma nova proposta de escala para os auxiliares de terra.

«Reunimo-nos com a administração da empresa e foi apresentada então uma nova escala para os auxiliares de terra. No plenário de hoje os trabalhadores concluíram que esta nova escala estava dentro da normalidade e deverá ser aceite», disse à Lusa Carlos Costa, do Sindicato dos Fluviais.


Os trabalhadores da Soflusa realizaram à tarde um plenário no Barreiro, o que motivou algumas perturbações na circulação mas acabou por não parar por completo as ligações entre as duas margens do Tejo.

«Algumas carreiras foram efetuadas durante o tempo que decorreu o plenário. Houve trabalhadores impedidos de estar presentes no plenário sob a ameaça de processo disciplinar», explicou o sindicalista.


Os auxiliares de terra da Soflusa efetuaram este mês uma greve parcial de três dias porque queriam manter o sistema de rotatividade entre Barreiro e Lisboa, depois de a empresa decidir que passam a desenvolver a sua tarefa apenas em Lisboa.

A Lusa contatou a Soflusa, mas a administração recusou fazer comentários.

A Soflusa é a empresa do grupo Transtejo que faz a ligação entre o Barreiro e Lisboa. A empresa Transtejo é responsável pelas restantes ligações entre as duas margens do rio Tejo na região de Lisboa.