O presidente do Governo Regional da Madeira disse hoje que a operação charter da TAP para estudantes madeirenses no continente passarem o Natal e o fim de ano a casa "foi um remedeio". Miguel Albuquerque admitiu a necessidade de "uma solução de fundo". Algumas dezenas de estudantes a estudarem no continente aproveitaram hoje esse voo.

Esta operação concretizou-se, foi um remedeio que veio dar alegria a um conjunto de famílias que têm os seus pequenos a estudar no continente, mas o que precisamos é de uma solução de fundo".

O presidente do Governo Regional adiantou que está já constituído um grupo de trabalho para, em 60 dias, apresentar soluções para que os estudantes e famílias, em alturas de pico como o verão, Natal e Fim de Ano, não tenham que pagar "preços especulativos".

Apesar das viagens aéreas entre a Madeira e o continente, ao abrigo do subsidio de mobilidade, custarem 65 euros nas épocas de ponta, chegam porém a atingir os 600 euros.

Os estudantes são reembolsados até ao teto de 400 euros. O remanescente fica por sua conta.